Morfologia On-line

Estrutura e formação de palavras

Estudar a estrutura é conhecer os elementos formadores das palavras. Assim, compreendemos melhor o significado de cada uma delas. Observe os exemplos abaixo:

     
CACHORR-INH-O CRIANÇA-S ANIMA-I-Z-INH-O-S

A análise destes exemplos mostra-nos que as palavras podem ser divididas em unidades menores, a que damos o nome de elementos mórficos ou morfemas.

Vamos analisar a palavra “cachorrinhas“:

Nessa palavra observamos facilmente a existência de quatro elementos. São eles:

cachorr – este é o elemento base da palavra, ou seja, aquele que contém o significado (RADICAL).

inh – indica que a palavra é um diminutivo (SUFIXO)

a – indica que a palavra é feminina (DESINÊNCIA NOMINAL DE GÊNERO)

s – indica que a palavra se encontra no plural (DESINÊNCIA NOMINAL DE NÚMERO)

Cada unidade desta recebe o nome de Morfemas: unidades mínimas de caráter significativo.

Obs.: existem palavras que não comportam divisão em unidades menores, tais como: mar, sol, lua, etc.

São elementos mórficos:

1) Raiz, radical, tema: elementos básicos e significativos

2) Afixos (prefixos, sufixos), desinência, vogal temática: elementos modificadores da significação dos primeiros

3) Vogal de ligação, consoante de ligação: elementos de ligação ou eufônicos.

  • Raiz
 at-oat-or

at-ivo

aç-ão

ac-ionar

 

Raiz noc [Latim nocere = prejudicar] tem a significação geral de causar dano, e a ela se prendem, pela origem comum, as palavras nocivo, nocividade, inocente, inocentar, inócuo, etc.Como podemos perceber, raiz é o elemento originário e irredutível em que se concentra a significação das palavras, consideradas do ângulo histórico. É a raiz que encerra o sentido geral, comum às palavras da mesma família etimológica.Obs.: uma raiz pode sofrer alterações.

 

  • Radical

Observe o seguinte grupo de palavras:

livr- o
livr- inho
livr- eiro
livr- eco

Você reparou que há um elemento comum nesse grupo?

Você reparou que o elemento livr serve de base para o significado? Esse elemento é chamado de radical (ou semantema). O RADICAL é elemento básico e significativo das palavras, consideradas sob o aspecto gramatical e prático.

  • AFIXOS
Certo > substantivo Certa-mente > advérbio  a-cert-ar > verbo 

 

Afixos são elementos secundários (geralmente sem vida autônoma) que se agregam a um radical ou tema para formar palavras derivadas; são morfemas capazes de operar mudança de classe gramatical na palavra a que são anexados.
Quando são colocados antes do radical os afixos recebem o nome de prefixos. Quando surgem depois do radical, os afixos são chamados de sufixos.

Prefixo Radical Sufixo
in at ivo
em pobr ecer
inter nacion al
  • DESINÊNCIAS
alun-o   alun-o-s
alun- alun-a-s

Como podemos perceber, desinências são os elementos terminais indicativos das flexões das palavras, que podem ser:

- Desinências Nominais: Indicam as flexões de gênero (masculino e feminino) e de número (singular e plural) dos nomes.

Observação: existem palavras que não admitem flexões. Em palavras como mesa, tribo, telefonema, por exemplo, não temos desinência nominal de gênero. Já em pires, lápis e ônibus não temos desinência nominal de número

- Desinências Verbais: Indicam as flexões de número e pessoa e de modo e tempo dos verbos.

Exemplos:

Eu compr-oTu compr-asEle compr-a

Nós compr-a-mos

Vós compr-a-is

Eles compr-a-m

Eu beb-oTu beb-esEle beb-e

Nós beb-e-mos

Vós beb-e-is

Eles beb-e-m

  • VOGAL TEMÁTICA

BUSCAR – ROMPER – PROIBIR

Vogal Temática é a vogal que se junta ao radical, preparando-o para receber as desinências. Nos exemplos acima, distinguem-se três vogais temáticas (A, E, I) que caracterizam a conjugação dos verbos.

 

  • TEMA

Quando juntamos o radical e a vogal temática temos o TEMA. Se usarmos os exemplos citados acima, teremos os seguintes temas:

Busca- Rompe- Proibi-
  • VOGAIS E CONSOANTES DE LIGAÇÃO
Paris-i-ense 
RADICAL VL SUFIXO

Se na palavra acima não houvesse a vogal i, a palavra teria uma pronúncia estranha (PARISENSE). Por esse motivo, usa-se a vogal de ligação.

As vogais e consoantes de ligação são morfemas que surgem por motivos eufônicos, ou seja, para facilitar ou mesmo possibilitar a pronúncia de uma determinada palavra.

Outros exemplos:

gas-ô-metro, alv-i-negro, tecn-o-cracia, pau-l-ada, cafe-t-eira, cha-l-eira, inset-i-cida, pe-z-inho, pobr-e-tão, etc.

  • FORMAÇÃO DAS PALAVRAS

Existem dois processos básicos pelos quais se formam as palavras: a derivação e a composição.

Primitiva Derivada
mar marítimo, marinheiro, marujo
terra enterrar, terreiro, aterrar

No processo de derivação, partimos sempre de um único radical, enquanto no processo de composição sempre haverá mais de um radical. Derivação é o processo pelo qual se obtém uma palavra nova, chamada derivada, a partir de outra já existente, chamada primitiva.

TIPOS DE DERIVAÇÃO

CRER- DESCRERLER- RELER
CAPAZ- INCAPAZ
Ao acrescentarmos um prefixo à palavra primitiva alteramos seu significado. Sendo assim, temos a DERIVAÇÃO PREFIXAL ou PREFIXAÇÃO
ALFABETIZAÇÃO  Ao acrescentarmos um sufixo à palavra primitiva podemos alterar seu significado ou fazer uma mudança de classe gramatical. Portanto, temos a DERIVAÇÃO SUFIXAL ou SUFIXAÇÃO.ALFABETO (subst.) > ALFABETIZAR (verbo) > ALFABETIZAÇÃO (subst.)Quando a sufixação forma substantivos ou adjetivos, chamamos de DERIVAÇÃO SUFIXAL NOMINAL (papel > papelaria). Quando a sufixação forma verbos, chamamos DERIVAÇÃO SUFIXAL VERBAL (atual > atualizar). E, por fim, quando a sufixação forma advérbios, chamamos de DERIVAÇÃO SUFIXAL ADVERBIAL (feliz > felizmente).
 ENTRISTECER Ao acrescentarmos um prefixo e um sufixo a uma palavra primitiva e o acréscimo do sufixo e do prefixo for obrigatoriamente simultâneo (A palavra entristecer não existe apenas com o prefixo (entriste) nem apenas com o sufixo (tristecer)) temos a DERIVAÇÃO PARASSINTÉTICA OU PARASSÍNTESE. Por meio dessa derivação formam-se nomes (substantivos e adjetivos) e verbos.
COMPRAR > COMPRABEIJAR > BEIJO Quando uma palavra é formada não por acréscimo, mas por redução, temos a DERIVAÇÃO REGRESSIVA. Sendo assim, forma-se basicamente substantivos a partir de verbos. O processo normal é criar um verbo a partir de um substantivo. Na derivação regressiva, a língua procede em sentido inverso: forma o substantivo a partir do verbo.OBS.: Para descobrirmos se um substantivo deriva de um verbo ou se ocorre o contrário, podemos seguir a seguinte orientação:- Se o substantivo denota ação, será palavra derivada, e o verbo palavra primitiva.

- Se o nome denota algum objeto ou substância, verifica-se o contrário.

Vamos observar os exemplos acima: compra e beijo   indicam ações, logo, são palavras derivadas. O mesmo não ocorre, porém, com a palavra âncora, que é um objeto. Neste caso, um substantivo primitivo que dá origem ao verbo ancorar.

Os bons serão contemplados.(adj. – subst.)Aquele garoto alcançou um feito passando no concurso. (particípio – subst./adj.)O andar de Roberta era fascinante. (Inf. – subst.)
O funcionário fantasma foi despedido. (subst. – adj.)
Falei baixo para que ninguém escutasse. (adj. – adv.)

Não entendo o porquê disso tudo. (palavras invariáveis – subst.)

Aquele coordenador é um caxias! (subst. Próprio – subst. Comum)

 

Quando determinada palavra, sem sofrer qualquer acréscimo ou supressão em sua forma, muda de classe gramatical temos a DERIVAÇÃO IMPRÓPRIA.OBS.: os processos de derivação vistos anteriormente fazem parte da Morfologia porque implicam alterações na forma das palavras. No entanto, a derivação imprópria lida basicamente com seu significado, o que acaba caracterizando um processo semântico. Por essa razão, entendemos o motivo pelo qual é denominada “imprópria”. 

No processo de COMPOSIÇÃO formam-se palavras compostas, a partir da junção de dois ou mais radicais.

PASSATEMPOQUINTA-FEIRAGIRASSOL

COUVE-FLOR

Ao juntarmos duas ou mais palavras ou radicais e não ocorrendo alteração fonética, temos a COMPOSIÇÃO POR JUSTAPOSIÇÃO. OBS.: em “girassol” houve uma alteração na grafia (acréscimo de um “s”) justamente para manter inalterada a sonoridade da palavra.
EMBORA (em boa hora)
FIDALGO (filho de algo – referindo-se a família nobre)
HIDRELÉTRICO (hidro + elétrico)
PLANALTO (plano alto)
Ao unirmos dois ou mais vocábulos ou radicais e ocorrendo a supressão de um ou mais de seus elementos fonéticos, temos a COMPOSIÇÃO POR AGLUTINAÇÃO.OBS.: ao aglutinarem-se, os componentes subordinam-se a um só acento tônico, o do último componente.

 REDUÇÃO

 

AUTO – por automóvel
CINE – por cinema
MICRO – por microcomputador
– por José
Algumas palavras apresentam, ao lado de sua forma plena, uma forma reduzida. Como exemplo de redução ou simplificação de palavras, podem ser citadas também as siglas, muito freqüentes na comunicação atual. 

 

  • HIBRIDISMO
AUTO (grego) + MÓVEL (latim) Ocorre hibridismo na palavra em cuja formação entra elementos de línguas diferentes.

 

  • ONOMATOPÉIA
MIAU, ZUMZUM, PIAR, TINIR, URRAR, CHOCALHAR, COCORICAR, ETC. Numerosas palavras devem sua origem a uma tendência constante da fala humana para imitar as vozes e os ruídos da natureza. As onomatopéias são vocábulos que reproduzem aproximadamente os sons e as vozes dos seres. 

  

  • PREFIXOS

a- , contra- , des- , em-  (ou en-) , es- , entre- re- , sub- , super- , anti-

 Os prefixos são morfemas que se colocam antes dos radicais basicamente a fim de modificar-lhes o sentido; raramente esses morfemas produzem mudança de classe gramatical.

Os prefixos ocorrentes em palavras portuguesas se originam do latim e do grego, línguas em que funcionavam como preposições ou advérbios, logo, como vocábulos autônomos.  Alguns prefixos foram pouco ou nada produtivos em português. Outros, por sua vez, tiveram grande vitalidade na formação de novas palavras.

Quadro de Correspondência entre Prefixos Gregos e Latinos

PREFIXOS GREGOS PREFIXOS LATINOS SIGNIFICADO EXEMPLOS
a, an des, in privação, negação anarquia, desigual, inativo
anti contra oposição, ação contrária antibiótico, contraditório
anfi ambi duplicidade, de um e outro lado, em torno anfiteatro, ambivalente
apo ab afastamento, separação apogeu, abstrair
di bi(s) duplicidade dissílabo, bicampeão
dia, meta trans movimento através diálogo, transmitir
e(n)(m) i(n)(m)(r) movimento para dentro encéfalo, ingerir, irromper
endo intra movimento para dentro, posição interior endovenoso, intramuscular
e(c)(x) e(s)(x) movimento para fora, mudança de estado êxodo, excêntrico, estender
epi, super, hiper supra posição superior, excesso epílogo, supervisão, hipérbole, supradito
eu bene excelência, perfeição, bondade eufemismo, benéfico
hemi semi divisão em duas partes hemisfério, semicírculo
hipo sub posição inferior hipodérmico, submarino
para ad proximidade, adjunção paralelo, adjacência
peri circum em torno de periferia, circunferência
cata de movimento para baixo catavento, derrubar
si(n)(m) cum simultaneidade, companhia sinfonia, silogeu, cúmplice
  • SUFIXOS

 -ada, -ança, -ção, -dão, -ista, -ema, -ismo

 Sufixos são elementos (isoladamente insignificativos) que, acrescentados a um radical, formam nova palavra. Sua principal característica é a mudança de classe gramatical que geralmente opera. Dessa forma, podemos utilizar o significado de um verbo num contexto em que se deve usar um substantivo, por exemplo.

Como o sufixo é colocado depois do radical, a ele são incorporadas as desinências que indicam as flexões das palavras variáveis.

O conhecimento dos radicais gregos é de indiscutível importância para a exata compreensão e fácil memorização de inúmeras palavras. Apresentamos a seguir duas relações de radicais gregos. A primeira agrupa os elementos formadores que normalmente são colocados no início dos compostos, a segunda agrupa aqueles que costumam surgir na parte final.

Radicais que atuam como primeiro elemento

Forma Sentido Exemplos
Aéros- ar Aeronave
Ánthropos- homem Antropófago
Autós- de si mesmo Autobiografia
Bíblion- livro Biblioteca
Bíos- vida Biologia
Chróma- cor Cromático
Chrónos- tempo Cronômetro
Dáktyilos- dedo Dactilografia
Déka- dez Decassílabo
Démos- povo Democracia
Eléktron- (âmbar) eletricidade Eletroímã
Ethnos- raça Etnia
Géo- terra Geografia
Héteros- outro Heterogêneo
Hexa- seis Hexágono
Híppos- cavalo Hipopótamo
Ichthýs- peixe Ictiografia
Ísos- igual Isósceles
Líthos- pedra Aerólito
Makrós- grande, longo Macróbio
Mégas- grande Megalomaníaco
Mikrós- pequeno Micróbio
Mónos- um só Monocultura
Nekrós- morto Necrotério
Néos- novo Neolatino
Odóntos- dente Odontologia
Ophthalmós- olho Oftalmologia
Ónoma- nome Onomatopeia
Orthós- reto, justo Ortografia
Pan- todos, tudo Pan-americano
Páthos- doença Patologia
Penta- cinco Pentágono
Polýs- muito Poliglota
Pótamos- rio Hipopótamo
Pséudos- falso Pseudônimo
Psiché- alma, espírito Psicologia
Riza- raiz Rizotônico
Techné- arte Tecnografia
Thermós- quente Térmico
Tetra- quatro Tetraedro
Týpos- figura, marca Tipografia
Tópos- lugar Topografia
Zóon- Animal Zoologia

 

Radicais que atuam como segundo elemento:

Forma Sentido Exemplos
-agogós Que conduz Pedagogo
álgos Dor Analgésico
-arché Comando, governo Monarquia
-dóxa Que opina Ortodoxo
-drómos Lugar para correr Hipódromo
-gámos Casamento Poligamia
-glótta; -glóssa Língua Poliglota, glossário
-gonía Ângulo Pentágono
-grápho Escrita Ortografia
-grafo Que escreve Calígrafo
-grámma Escrito, peso Telegrama, quilograma
-krátos Poder Democracia
     
-lógos Palavra, estudo Diálogo
-mancia Adivinhação Cartomancia
-métron Que mede Quilômetro
-morphé Que tem a forma Morfologia
-nómos Que regula Autônomo
-pólis; Cidade Petrópolis
-pterón Asa Helicóptero
-skopéo Instrumento para ver Microscópio
-sophós Sabedoria Filosofia
-théke Lugar onde se guarda Biblioteca

Radicais Latinos

Radcais que atuam como primeiro elemento:

Forma Sentido Exemplo
Agri Campo Agricultura
Ambi Ambos Ambidestro
Arbori- Árvore Arborícola
Bis-, bi- Duas vezes Bípede, bisavô
Calori- Calor Calorífero
Cruci- cruz Crucifixo
Curvi- curvo Curvilíneo
Equi- igual Equilátero, equidistante
Ferri-, ferro- ferro Ferrífero, ferrovia
Loco- lugar Locomotiva
Morti- morte Mortífero
Multi- muito Multiforme
Olei-, oleo- Azeite, óleo Oleígeno, oleoduto
Oni- todo Onipotente
Pedi- Pedilúvio
Pisci- peixe Piscicultor
Pluri- Muitos, vários Pluriforme
Quadri-, quadru- quatro Quadrúpede
Reti- reto Retilíneo
Semi- metade Semimorto
Tri- Três Tricolor

Radcais que atuam como segundo elemento:

Forma Sentido Exemplos
-cida Que mata Suicida, homicida
-cola Que cultiva, ou habita Arborícola, vinícola, silvícola
-cultura Ato de cultivar Piscicultura, apicultura
-fero Que contém, ou produz Aurífero, carbonífero
-fico Que faz, ou produz Benefício, frigorífico
-forme Que tem forma de Uniforme, cuneiforme
-fugo Que foge, ou faz fugir Centrífugo, febrífugo
-gero Que contém, ou produz Belígero, armígero
-paro Que produz Ovíparo, multíparo
-pede Velocípede, palmípede
-sono Que soa Uníssono, horríssono
-vomo Que expele Ignívomo, fumívomo
-voro Que come Carnívoro, herbívoro

Deixe um comentário »

Nenhum comentário ainda.

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O tema Rubric. Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: